Mais de 200 sintomas da COVID longa são identificados por pesquisadores

Estudo aponta que os mais citados são fadiga e mal-estar após esforço; incômodos duraram de 28 dias a seis meses.

Cognys

  • 16/07/2021
  • 0
  • 0
  • 0
Favoritar
Mais da metade dos entrevistados sentiu um dos sintomas por, ao menos, seis meses (Fonte: iStock).

Uma equipe de cientistas identificou mais de 200 sintomas, relacionados à versão mais longa da COVID-19, que podem afetar até dez órgãos. A pesquisa, liderada pela University College London, na Inglaterra, usou como base os dados do grupo de apoio online Covid-19 Support Group, pertencente à organização de direitos na saúde Body Politic. Ao todo, 3,7 mil pessoas de 56 países foram avaliadas no estudo.

Entre os incômodos, os mais relatados pelos pacientes foram fadiga (98,3%), mal-estar após esforço (89%) e disfunção cognitiva (85,1%). Já entre os sintomas atípicos, os mais citados foram: alterações no ciclo menstrual, alucinações visuais, coceira na pele, disfunção sexual, palpitações cardíacas, tremores, visão turva e zumbido. As manifestações duraram mais de 28 dias e cerca de 65,2% dos entrevistados continuaram a sentir um desses sintomas por, pelo menos, seis meses.

Outros problemas permaneceram ou surgiram após esse período, entre eles: insônia, palpitações cardíacas, dores musculares, falta de ar, tontura, problemas de equilíbrio e linguagem, além de dor nas articulações e taquicardia. Segundo a cientista Athena Akrami, que participou da pesquisa, é necessário se atentar a alguns sintomas de ordem neurológica — como falhas na memória e disfunção cognitiva — já que podem indicar problemas mais graves tanto no sistema nervoso central quanto periférico.

Link da notícia completa, clique aqui.

 

COGNYS
pesquisa
covid-19
saúde pública
covid longa
fonte: Galileu